Todas as Cidades
Histórico
Chuvas

Trigo brasileiro: qualidade conquistada com planejamento

19/04/2012

Produtores brasileiros de cereais de inverno investem, cada vez mais, em tecnologia para o campo e reconhecem a efetividade do planejamento para a obtenção da produtividade e da qualidade tão exigidas pelo mercado

O trigo é considerado um dos alimentos básicos mais importantes para o ser humano. Entretanto, este cereal pode se tornar escasso no futuro, devido à multiplicação do número de pessoas que habitam o planeta. Para atender a crescente demanda, a produtividade do trigo deverá aumentar e isto só será possível com a adoção de tecnologias que contribuam para o aumento da produção e da qualidade dos grãos.

O investimento em tecnologia, adotado há alguns anos nas lavouras brasileiras de cereais de inverno, já vem apresentando resultados significativos que podem ser comprovados pelos resultados da última safra. Produtores do Rio Grande do Sul, por exemplo, atingiram recorde de produtividade, de acordo com informações da Emater/RS-Ascar, sendo que a safra 2011 foi marcada pela qualidade dos grãos de trigo produzidos, representando um diferencial competitivo para os triticultores brasileiros.

Com uma nova postura frente às inovações oferecidas por empresas parceiras na gestão do campo e foco no planejamento antecipado do plantio, agricultores como Régis Augusto Giovelli, da empresa Sementes Giovelli, de São Luiz Gonzaga (RS), garantem que por meio de planejamento, adoção de tecnologias e utilização de boas práticas, é possível conquistar incremento crescente em produtividade e qualidade do trigo. "Há três anos identificamos melhorias contínuas no aumento de sacas por hectare e na força do glúten (W) do trigo plantado. Em safras anteriores, obtínhamos cerca de 40 a 50 sacas por hectare. Hoje em dia, os números aumentaram e contabilizamos de 70 a 80 sacas por hectare, além de até 320 W", afirma.

Parte desses dados de grande relevância pode ser atribuída à consultoria técnica oferecida aos produtores, às variedades de sementes e aos tratamentos preventivos contra plantas daninhas, pragas e doenças. "Uma série de fatores contribui para os bons resultados da safra. Os produtores devem estar atentos às recomendações de profissionais que conheçam o que há de mais moderno no mercado, em termos de soluções tecnológicas que se adaptam às especificidades da região e em técnicas efetivas de manejo contra os problemas que comprometem a produtividade das lavouras", destaca Mario Rissi, gerente de cultura Cereais de Inverno da Bayer CropScience.

De acordo com Rissi, o planejamento para o plantio de cereais de inverno tornou-se fundamental nos últimos anos e consiste na estruturação de uma estratégia detalhada de ação. "O produtor deve realizar a seleção da área a ser semeada, a escolha das variedades, o investimento em sementes certificadas e tratadas - capazes de proporcionar maior produtividade e qualidade -, o plantio na época recomendada, a adoção de boas práticas agrícolas e a definição do calendário de aplicação de inseticidas, fungicidas e herbicidas, para o manejo de pragas, doenças fúngicas e plantas daninhas", ressalta.

Em São Luiz Gonzaga, a orientação é seguida à risca. Giovelli começa a planejar a próxima safra com seis meses de antecedência e acredita que o investimento realizado em insumos, dentre eles produtos para manejo e doses de nitrogênio nos estágios de perfilhamento e pré-espigamento, é extremamente válido. "Na área semeada de mil hectares, é possível mensurar, a cada ano, o aumento de 20% em produtividade e de 50 W. Além disso, durante o plantio do trigo, nota-se plantas com mais vigor, consequente da boa germinação das sementes, garantindo um tamanho adequado do cereal e a comercialização com aumento regular de preços", explica.

Além do planejamento para a safra 2012, o triticultor deve ficar atento também à nova legislação de classificação do trigo, prevista para entrar em vigor em julho deste ano, segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Com a nova legislação, a exigência de W (força do glúten), Falling Number (atividade enzimática da farinha) e Estabilidade ficará ainda maior e, por esse motivo, repensar o planejamento é fundamental para a próxima safra. "Para atender os pontos que visam mais qualidade e, consequente, competitividade de mercado, pensar além do momento de plantio torna-se uma ferramenta essencial para o sucesso da lavoura. Afinal, os produtores de cereais de inverno, em específico os triticultores brasileiros, devem se diferenciar no mercado, correspondendo não só as suas necessidades, mas as expectativas", finaliza Rissi.

Agrolink com informações de assessoria