Todas as Cidades
Histórico
Chuvas

MILHO - Produtor já pensa em diminuir área em 2010

21/10/2009

Por mais que todos saibam da importância que a cultura do milho tem para a propriedade rural. Além de ser a principal fonte de alimento para os animais, faz parte da rotação de culturas, o preço do grão não tem incentivado que o produtor aposte nele. Com um olho no céu, outro na lavoura e de calculadora na mão, o produtor tem sentido a amarga relação entre custo de produção e preço do produto na hora da comercialização. Assim o amarelinho vai perdendo para a planta toda verde.

O produtor Valdir Ahlert, da Agropecuária Dona Júlia é um exemplo do que esta se constatando para a safra de verão 2009/2010: redução da área de milho. Devido ao problema de preço que o grão vem alcançando, desde a safra passada, ele vem diminuindo o espaço. Em 2008, a redução chegou a 20%, este ano passou para 30%. Segundo ele, o índice só não é maior porque comprou os insumos cedo e não pode recuar, pois a aposta é na soja. A ideia não é parar por aí, já existe um planejamento para que na próxima safra, 2010/2011, o corte chegue a 50%. Preocupado com a rotação de culturas, ele está atento.

Valdir destina 200 hectares para as culturas de verão na propriedade de Colônia D. Júlia. Devido à chuva, o plantio do milho foi atrasado. Era só agricultor olhando para o céu, esperando uma brecha, uma "janelinha" como dizem, para voltar correndo para a lavoura. Valdir relata que o trabalho terminou em 09 de outubro. Pelo alto custo da semente não plantou a transgênica, só a convencional. Ao inspecionar a lavoura, Valdir algumas vezes, conta com um companheiro, o neto Caetano Ahlert Silva de quatro anos, que já demonstra gostar das atividades rurais. "Muitas vezes ele lembra de alguma coisa que eu estava esquecendo" observa o avó "coruja".

PROJETO CICLUS

Ele está participando do Projeto Ciclus, da Cotrijal, da chamada agricultura de informação. Dentro de sua propriedade, 5 hectares foram escolhidos para o plantio de milho, porém com um trabalho diferenciado. Uma análise mais profunda foi feita no solo, de 40 cm, para ver qual o nutriente que vai fazer falta quando a raiz busca água. O projeto que começou este ano tem durabilidade de cinco, onde todos os fatores serão observados, assim como os resultados.

Fonte: Diário da Manhã - Carazinho