Todas as Cidades
Histórico
Chuvas

Mais de 113 mil embalagens de agrotóxicos entregues em CZ/09

02/10/2009

Desde 2002, cooperativa recebe os materiais e providencia a destinação final

Segundo o Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (Inpev), de janeiro a agosto deste ano, aproximadamente 19.733 toneladas de embalagens vazias de defensivos agrícolas foram encaminhadas a um destino ambientalmente correto. O volume é 17,6% maior do que o mesmo período de 2008.

O Rio Grande do Sul é o quinto estado brasileiro em que os produtores enviam mais volumes de embalagens. O estado de maior índice é o Mato Grosso.

Na região de Carazinho, para atender a demanda dos produtores, a Cotrijal iniciou um projeto único no ano de 2001. A instituição realizou a construção de doze unidades de recebimento de embalagens vazias, sendo onze estruturas pequenas para armazenamento temporário e uma central na unidade de Carazinho.

Conforme a bióloga do setor de meio ambiente da Cotrijal, Michelle Valiati, o processo de descarte tem uma representatividade importante para a saúde de quem manuseia o produto e também para o meio ambiente: "A poluição ambiental causada por embalagens vazias de agrotóxicos é um dos problemas mais visíveis das comunidades rurais e que, pela não observância dos métodos indicativos de destinação, vinha assumindo contornos preocupantes afetando a economia rural, agredindo a natureza e a saúde humana pela contaminação dos solos, mananciais de água e lençol freático", destaca.

A bióloga explica que a destinação final é um processo complexo, que requer um comprometimento de diversas pessoas envolvidas na sua fabricação, comercialização e utilização nas lavouras. A cooperativa realizou diversos processos para que o trabalho fosse realizado. As etapas incluíram a definição dos locais de construção nos entrepostos; encaminhamento da documentação para obtenção dos licenciamentos junto ao órgão ambiental; confecção de material de apoio para treinamentos; confecção de software e compra de equipamentos de proteção individual.

Depois disso, foi realizado o processo de conscientização dos produtores rurais, o efetivo recebimento das embalagens e o monitoramento do projeto e seus resultados. O recebimento das embalagens vazias iniciou em novembro de 2002, em todas as unidades, e foi definida a primeira segunda-feira do mês para os produtores entregarem o material. As embalagens são encaminhadas até a Cimbalagens, em Passo Fundo que realiza o devido fim ao material.

MAIS DE 113.000 EMBALAGENS ENTREGUES EM 2009

Atualmente as embalagens tríplice-lavadas são encaminhadas para a reciclagem e as embalagens contaminadas para a incineração. Neste ano o número de embalagens diminuiu, mesmo assim permanece elevado, sendo que 113.809 foram entregues.

O produtor rural Valdir Halirt, utiliza o serviço há cerca de oito anos. Ele explica que existem épocas que utiliza mais, devido ao uso maior deste tipo de produto. Em sua propriedade, localizada na comunidade Dona Julia, foram devolvidas no mês de agosto e setembro, 180 peças de vasilhames, que foram utilizadas como fungicidas no cultivo de trigo e para o preparo das lavouras de milho. "Este tipo de serviço prestado pela cooperativa é fundamental, uma necessidade. Antes disso eu tinha uma dificuldade em saber o fim que devíamos dar as embalagens, mandamos queimar, vendemos para ferro velho. Hoje é bom porque não precisamos mais nos preocupar com a nossa saúde e o meio ambiente, porque os agrotóxicos são prejudiciais para as duas coisas", enfatiza.

Fonte: Diário da Manhã Carazinho