Todas as Cidades
Histórico
Chuvas

Syngenta lança campanha contra falsificação de defensivos

17/02/2011

Com o objetivo de alertar sobre os riscos e perigos que os defensivos agrícolas falsificados oferecem a toda cadeia produtiva, a Syngenta lançou em 2011 uma campanha de conscientização focada no fungicida Priori Xtra (líder em seu segmento), que figura na lista dos principais produtos adulterados. A ação, que vai até o início de março e tem como foco o produtor rural, circula nos principais veículos de comunicação dirigidos ao segmento agrícola nos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo.

A campanha destaca temas sensíveis como produtividade e saúde e visa ajudar os agricultores na prevenção de problemas com a rentabilidade das lavouras. “Por terem boa aceitação no mercado, os defensivos agrícolas estão cada vez mais expostos às falsificações”, comenta o gerente de portfólio de fungicidas da Syngenta, André Fink. Segundo ele, os falsificadores têm montado laboratórios clandestinos onde confeccionam rótulos de identificação – impressos em papel autocolante –, e ainda batizam, diluem, misturam e envasam o material em bombonas muito parecidas com as originais.

Defensivos agrícolas falsificados podem levar à perda total de uma lavoura de soja atacada pela ferrugem, uma das principais doenças da cultura. Este é apenas um dos riscos para agricultores que pensam levar alguma vantagem ao adquirir um insumo “mais barato” e acabam aplicando em suas plantações um produto sem qualquer garantia de eficácia e segurança. Além disso, nesses casos, não há a quem reclamar.

Quem utiliza esse tipo de produto também está sujeito às penalidades por crime ambiental e de contrabando ou descaminho. Segundo dados do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Agrícola (Sindag), entre 2001 e 2010, foram apreendidas 389,8 toneladas de defensivos falsificados. Considerando as culturas de algodão, arroz, batata, feijão, milho, soja e trigo, esse volume representaria a proteção de 5,57 milhões de hectares, cuja estimativa de produção supera 14 bilhões de toneladas.

Como evitar A campanha iniciada pela Syngenta apresenta diversas orientações para que os agricultores evitem ser enganados. Desconfiar de ofertas demasiadamente atrativas é uma delas. “Se o preço do produto estiver muito abaixo do praticado no mercado, o melhor é não comprar”, alerta Fink.

O gerente também orienta a somente adquirir produtos em redes de distribuição autorizadas pelo fabricante e a exigir documentos como nota fiscal e receituário agronômico do vendedor. “O fazendeiro pode – e deve – conferir a credencial dos vendedores da rede de distribuição. É importante lembrar que a Syngenta não vende seus produtos pela internet”, ressalta. Em caso de dúvidas, o cliente também pode esclarecê-las por meio do C.A.S.A. (Centro Avançado Syngenta de Atendimento), pelo número: 0800 704 4304.

As informações são da assessoria de imprensa da Syngenta