Todas as Cidades
Histórico
Chuvas

Lavouras de milho devem apresentar boas produtividades

01/02/2011

Os agricultores que apostaram na cultura do milho estão se preparando para uma boa colheita. É o que revela o coordenador do Departamento Técnico da Cotrijal, Robson de Quadros Sandri, explicando que as lavouras estão em processo maturação fisiológica e boa parte destas, estarão prontas para a colheita nos próximos dias.

O otimismo para quem apostou na cultura do milho, é explicado pelo coordenador do Detec através de fatores que influenciam a cultura para que boas produtividades possam ser alcançadas. "As lavouras foram implantadas com qualidade, se manteve a tecnologia, e em alguns casos se incrementou principalmente no manejo de nitrogênio. A quantidade de plantas por hectare é maior que a do ano passado, uma aposta de muitos produtores que agora terão os benefícios", explica Sandri, que ainda destaca o clima, já que as noites frias da primavera ajudaram na formação do potencial produtivo das lavouras. "Assim temos nas lavouras mais plantas por hectares, mais espigas, e mais grãos por espiga, e vamos depender do peso do grão para consolidar uma boa colheita".

Ainda comentando sobre a colheita das lavouras da região, Sandri revela toda a sua expectativa para a cultura, que terá grandes chances de superar os tetos de produtividade do ano passado. "Esperamos surpresas positivas, cabe lembrar que a media geral de todos os cooperados da Cotrijal na safra passada foi de 172 sacos / hectare, e nesse ano tivemos uma condição climática favorável desde a implantação até esse momento, salvo algumas exceções, e é por isso que vamos chegar muito perto desses patamares, e muitos produtores vão colher o que nunca colheram na vida".

La Niña x Milho

O planejamento da lavoura de milho foi tema muito discutido, com informações repassadas aos produtores para que a cultura pudesse alcançar bons patamares e resultados satisfatórios nessa safra. Com a previsão da influência do fenômeno climático La Niña, estratégias foram montadas para que os efeitos fossem minimizados. Robson Sandri explica que a principal orientação repassada aos produtores foi que em ano de La Niña a saída é justamente investir no milho. "Isso porque as chuvas da primavera tendem a se estender até dezembro e janeiro. Na medida que começa a chover no centro oeste, fecha a torneira aqui no sul. Analisando os modelos climáticas fornecidos pela Somar, confrontando dados históricos de produtividade de soja e milho em anos de La Ninã, lá em maio de 2010, justamente na época de planejamento das lavouras de verão da atual safra a ser colhida, a nossa visão era de que o milho seria uma boa opção, e com base nestas informações motivamos nossos cooperados para que não abandonassem a cultura do milho em um ano de La Ninã ", revela Sandri, destacando que na região de atuação da Cotrijal, praticamente não houve redução na área de milho da atual safra em relação à safra passada, esta manutenção de área é uma evidência que o nosso trabalho está funcionando. Os cooperados que acreditaram no nosso trabalho, estão colhendo bons resultados, este é um exemplo que trabalho técnico, focado e comprometido com o sucesso de nossos cooperados funciona e gera resultados positivos.